Mensagem aos Estudantes Finalistas 2019/2020

(c) Hugo Moreira

Caros colegas,

A AAUA desafiou o Grupo de Fados da Universidade dos Açores a realizar uma serenata aos estudantes finalistas da UAc, de forma a marcar este dia, que seria tão simbólico para todos eles. Esperemos que tenham gostado da surpresa e que, mesmo distantes, se tenham sentido todos juntos, nos Paços do Conselho. 

Um agradecimento especial ao GFUA por ter aceite o desafio e muitos parabéns pelo resultado final, que poderão consultar através do seguinte link: https://www.facebook.com/fadosuac/videos/221222045845364

Serenata aos Finalistas da Universidade dos Açores 2019/2020

A esta hora já teríamos finalizado a nossa atuação na Câmara Municipal de Ponta Delgada para, como habitual, prestar a nossa homenagem a todos os finalistas e queimantes da nossa casa com mais uma Serenata Monumental.Dada a situação atual tal não foi possível, mas não poderíamos deixar passar a data, nem deixar que os nossos alunos terminassem o seu ciclo sem esta singela homenagem gravada em nossas casas e com o que tínhamos disponível.Assim sendo, o Grupo de Fados da Universidade dos Açores dedica-lhes uma das mais famosas músicas tocadas nesta ocasião, a Balada da Despedida do V Ano Jurídico 88/89, desejando-lhes as maiores felicidades para o futuro que se avizinha e que saibam que nesta casa encontrarão sempre a sua família.Por último um agradecimento à AAUA pelo convite, esperando que na próxima oportunidade haja a possibilidade de celebrar este evento como ele merece.Que nenhuma situação impeça ninguém de cumprir os seus sonhos, e que lutem sempre pelo realizar dos vossos ideais, da mesma maneira que nós lutamos pelos nossos, a Música e a Tradição.Grupo de Fados da Universidade dos Açores#fado #açores #azores #musica #tradicao #fadodecoimbra #estudantes #serenatamonumental #serenata #balada #finalistas #universidade #uac #semanaacademica #vaificartudobem

Posted by Grupo de Fados da Universidade dos Açores on Sunday, 19 April 2020

Caros colegas finalistas 2019/2020, este seria um dia e tanto, não é verdade?! A começar pela emoção ao acordar por ser o dia que era, passando pela felicidade ao erguer as pastas lá bem no alto, na cerimónia da Bênção das Pastas, onde a Igreja, se vista do alto, era um autêntico arco-íris de objetivos atingidos e sonhos concretizados. Depois, ao cair da noite, depois de um dia de sorrisos, choros emotivos, palavras calorosas e muitos abraços…estariam todos vós, sentados na escadaria, sob o olhar da lua e o brilho das estrelas, onde o arco-íris se podia observar mais uma vez. Este que seria o momento mais forte, onde à vossa frente estaria toda a comunidade académica, de olhos postos em cada um de vós que, como um todo, nunca deixarão de fazer parte da UAc.

Este é, sim, um fechar de um ciclo que ficará marcado para sempre nas vossas vidas. A UAc será sempre parte integrante de vós, pois “aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós; deixam um pouco de si, levam um pouco de nós”…e a UAc deixa-nos tanto, mas tanto.

Parabéns a todos por todo o vosso percurso académico, por tudo o que atingiram, por tudo o que alcançaram e que nunca se esqueçam que “o sonho comanda a vida”…e que bom que é ser sonhador e concretizar os sonhos desta vida!

A AAUA fará os possíveis para que com as devidas condições, se celebre a cerimónia da Bênção das Pastas de todos os finalistas (na medida do possível, tendo em conta a situação atual), pelo que assim que possível, faremos chegar a informação a todos os interessados.

Saudações Académicas,
Daniela Sofia Faria
Presidente da Direção

(c) Hugo Moreira - Foto de Grupo, entrega de recordação pelos 25 anos

25º Aniversário dos Tunideos

Fotografias por Hugo Moreira

“A alma de um Tunídeo, é a alma de um cantor, a alma de um poeta trovador” e como dizia Florbela Espanca “Ser Poeta é ser mais alto, é ser maior do que os homens” é “ser mendigo e dar como quem seja”. 

No fundo, os 25 anos de história dos Tunídeos é isto, 25 anos de música; de serenatas; de dar à cultura regional sem nada pedir em troca; de, por vezes, dar sem receber o mínimo que é aceitável; contribuir para algo que é maior do que o individual; contribuir para a história, deixar a sua marca da história… 

Quem nunca recordou a sua cidade ao som da nossa “Doce Ponta Delgada”? 

Quem nunca correu os Açores no “Corrido das Ilhas”? 

Quem nunca se perdeu de amores na “Rua da Saudade”? 

Podemos, claro, afirmar que ser Tunídeo, é ser parte da história, são diversos os marcos deste grupo musical, os feitos e as suas conquistas, mas… será que ser Tunídeo é só ser música? 

Os Tunídeos são muito mais do que música, são o ser e a essência estudantil na sua forma e génese. 

Quem vive nestas andanças académicas, quem da sociedade convive com a universidade sabe bem que ser estudante é muito mais do que ser aluno. É respirar irreverência; é lutar e ser o que se acredita; é viver à flor da pele; é aprender e crescer como pessoa que participa, que decide e que vive. 

Os Tunídeos são assimirreverentes, lutadoree confiantes na sua forma de ser.  

Os 25 anos falam por si, são sinónimo de história e persistência; de ser mais do que o homem; de viver em inquietação, de querer ser maisde o ser. E continuar nessa sede de o ser, sendo-o efetivamente. 

Nesta pequena homenagem de autores não podia deixar também de referir o grande cantautor recentemente falecido, que resume em grande parte a forma de estar dos nossos Tunídeos, José Mário Branco. 

Há sempre qualquer coisa que eu tenho que fazer 

Qualquer coisa que eu devia resolver 

Porquê, não sei 

Mas sei 

Que essa coisa é que é linda 

A vossa vontade; a vossa irreverência; a vossa e, no fundo, nossa batalha; a vossa inquietação de ter qualquer coisa que fazer, de ter qualquer coisa por resolver, a vossa e, um pouco, nossa história é que é linda! 

Bem hajam aos Tunídeos, bem hajam às Tunas da Universidade dos Açores, bem-haja a nós, que somos a nossa casa! E claro, bem-haja à nossa casa que nos une e nos traz aqui, a Universidade dos Açores! 

Parabéns Tunídeos!